12 textos para lembrar tudo que aconteceu em 2017 • We Love

12 textos para lembrar tudo que aconteceu em 2017

Lembranças de Uma Noite Sem Limites | Créditos: Pixabay

O que dizer desse 2017 que mal termina e já vai tarde, não é mesmo amigos? Esse foi um ano maluco, no qual a realidade desafiou a ficção diversas vezes, mas o que não deixou de aparecer por aqui foram conversas inteligentes (e nem tanto). Relembre algumas:

1. Logo em janeiro o prefeito de São Paulo saiu cobrindo um monte de grafites e uma exposição, quase escondida, mostrava como os muros de diversas cidades no mundo comunicam muito mais do que a gente pode imaginar.

what the fuck coletivo we love

2. 2017 e as pessoas ainda discutem se São Paulo deve, ou não ter ciclovias. Igor Amâncio, um dos nossos editores, vem para o nosso QG todos os dias usando as bicicletas comunitárias da cidade e contou um pouco sobre a experiência.andando de bicicleta em são paulo como é ciclovias coletivo we love

3. Em fevereiro a gente reuniu as dicas dos nossos colaboradores para quem quer curtir bloquinho de rua antes, durante e no pós Carnaval.

carnaval bloco de rua dicas gif como são paulo sp

4. Foi durante o Carnaval, mas ninguém esqueceu: La La Land, um dos preferidos entre os nossos colaboradores, levou o Oscar de Melhor Filme, só que não. Warren Beatty e Faye Dunaway anunciaram o longa como vencedor, mas quem ganhou real/oficial foi mesmo Moonlight: Sob a Luz do Luar. 

oscar la la land moonlight gif

5. No Dia Internacional da Mulher, o presidente interino disse que só a mulher é capaz de indicar “desajustes” de preço no supermercado. Por aqui, a gente falou que isso é machismo, sim, e a gente precisa combater esse tipo de atitude todos os dias.

machismo

6. Nem parece que foi em abril que 13 Reasons Why chegou à Netflix, o que fez um monte de gente falar sobre alguns tabus como suicídio e assédio. Nossos colaboradores indicaram outras obras com a mesma temática.

13 reasons why coletivo we love

7. Anitta se tornou Anira ao se jogar no mercado internacional com Paradinha, sua primeira música solo. Maluh Bastos, nossa especialista em música, analisou a equação que transformou a cantora.

anitta is that for me coletivo we love

8. Em setembro, a Justiça Federal do Distrito Federal permitiu, em caráter liminar, que psicólogos possam tratar gays e lésbicas como doentes e possam fazer terapias de “reversão sexual”. “Espero sinceramente que essas manchetes sejam elucidativas sobre a verdadeira doença social que assalta muita gente por aí. Por aqui, continuamos absolutamente saudáveis, amando e nos relacionando como se não houvesse amanhã. Fora um ou outro resfriado – e para além da violência diária que sofremos por ser quem somos – seguimos bem. Lutando batalhas com o peito aberto e de mãos dadas”, escreveu Ronaldo Gomes em Estou gay, e agora?.

love is love gay coletivo we love gif

10. Também em setembro, o STF permitiu o ensino de religião nas escolas públicas. A Natalia Moreno, que além de escritora é professora, explicou por que esse tipo de aula deveria ser abolido da grade escolar. 

goss

11. Na mesma época, um fato que acontece diariamente em todo o mundo chegou às notícias: um homem ejaculou em uma passageira no ônibus, em São Paulo. O caso desencadeou em várias outras denúncias e, por aqui, a Giovanna Marques escreveu sobre o feminismo, o nosso corpo e nossas regras.

feminist beyonce coletivo we love machismo

12. O racismo foi uma constante em 2017: a cantora Ludmilla foi alvo de racismo, assim como a atriz Taís Araújo após sua apresentação no TEDx, e Titi, a filha dos atores Bruno Gagliasso e Giovanna Ewbank. Esses foram os casos que chegaram à mídia e, aqui, Ana Caroline Carmo pisou com o texto Não, você não quer ser negro.

Quer mais? Reunimos os melhores textos de 2017 em um board no nosso Pinterest:

Coletivo WeLove

Coletivo WeLove

O Coletivo WeLove foi fundado para ser um espaço livre para a exposição de ideias e troca de inspiração entre pessoas interessantes e interessadas. Acreditamos que falta conversa boa, ouvir além de falar e assinar embaixo quando escrevemos – ou dizemos – algo.
Coletivo WeLove

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *