3 motivos para você ir correndo conhecer o Sesc 24 de Maio • We Love

3 motivos para você ir correndo conhecer o Sesc 24 de Maio

Sesc 24 de Maio | Foto: Divulgação Sesc SP

Foto: Matheus José Maria/Sesc SP

Quem me conhece sabe que eu sou fã de rolê gratuito (ou “rolê 0800”, pros mais íntimos). E é por isso que adoro Sescs, Centros Culturais, feiras ao ar livre, museus, parques e listas VIP de balada. À parte o último caso, todas as descritas costumam ser uma opção recorrente nos fins de semana e muito se engana quem pensa que uma visita a esses espaços implica necessariamente em ficar por horas admirando a beleza de pinturas modernistas.

A bem da verdade, isso também acontece, mas a arte é plural – e, em tempos de descrença política, econômica e social, acrescento: é VITAL. Isso significa que você vai encontrar uma caralhada de quadro incrível, mas também vai encontrar instalações em que será convidado a ficar de cabeça pra baixo, com a cara enfiada dentro de um puff e, acredite, vai ser muito divertido.

Isso dito, programo a ida ao Sesc 24 de Maio, desde a inauguração, em agosto desse ano. Desvios de agenda, planos de última hora – e a preguiça, confesso – me levaram a postergar por três meses a visita. Mas fui. E eu preciso dividir com vocês alguns pontos:

É resistência

Construído no coração de São Paulo, o Sesc ocupa uma região culturalmente rica que costuma ser esquecida pelo poder público – mesmo a um viaduto da prefeitura. No acervo permanente da sala de exposições, essa premissa mostra sua força, ao trazer relatos de moradores de rua, fotografias e arquivos históricos do bairro que foi berço da cidade. Além: as maquetes impecáveis, esculturas indígenas e reproduções em miniatura da imponente arquitetura dos anos 30 revelam que a produção artística segue viva e resiste mesmo em um cenário que outrora seria dado como perdido. A mensagem final é que o centro vive e já está mais do que na hora de ocupar.

É um espaço seu

A arquitetura faraônica dos onze andares + rooftop com direito a piscina (essa, somente para associados), é pensada para dar o espaço a quem ele pertence: você. Vãos livres de sobra são um convite visual para quem traz o violão e resolve começar ali mesmo um luau ou liga a caixa de som pra mandar na hora uma performance ao vivo. Pra somar, uma oficina aberta de tecnologia e inovação ocupa parte da biblioteca e ainda faz as vezes de co-working, oferecendo mesas e Wi-Fi pra quem cansou do home office – ou mesmo do office – e tá a fim de conhecer gente nova.

Bônus: tem um “lago” no meio do prédio e é perfeito pra levar as crianças! 

É um tiroteiro de apresentação maravilhosa e quando termina você fica tipo EITA

Tanto o teatro quanto as apresentações musicais são um verdadeiro show. No dia em que visitava, uma apresentação ao vivo de samba-rock levou a galera a pegar um parzinho pela mão e sair dançando como se não houvesse amanhã em um dos vãos vazios que citei aí em cima. A acústica reverbera o som por toda a extensão do prédio, o que significa que se estiver rolando som no segundo andar, o edifício inteiro entra em festa, com exceção da biblioteca, por motivos óbvios rs.

Minha dica é: dá uma olhadinha na programação e só vai.

Igor Amâncio

Igor Amâncio

Produtor de conteúdo no We Love. Quase jornalista, amante da música, arranha um violão como ninguém. Um dia decidiu deixar de lado o video game e resolveu jogar com as palavras.
Igor Amâncio

Últimos posts por Igor Amâncio (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *