5 TIROS NA VINÍCIUS! • We Love

5 TIROS NA VINÍCIUS!

5 TIROS NA VINÍCIUS!

5 TIROS NA VINÍCIUS! 5 TIROS NA VINÍCIUS! 5 TIROS NA VINÍCIUS!

Bradava uma vendedora ambulante.

Eu, há poucos metros dali, finalizava um café e uma tentativa de brownie orgânico (essas coisas emagrecem mesmo porque você logo perde a vontade de comer). Ouvi o relato, porém, por não ter ouvido os disparos tão cotidianos (como dói escrever isso!), pensei se tratar de uma estratégia de marketing de guerrilha.

O trocadilho é inevitável, porém coerente. Uma boa história retém fregueses e gera vendas absurdas. O povo praticamente paga pela fofoca.

Após 5 minutos – vamos combinar que aqui por terras cariocas ninguém tem pressa de nada -, um carro de polícia desce a Visconde de Pirajá. Ele não entra na contramão, ao invés disso contorna lentamente a Farme, o que indica tudo estar minimamente sob controle.

5 minutos mais tarde, um novo informe: dois rapazes estavam algemados, ensanguentados e sentados no chão.
Haviam acabado de tentar assaltar um homem, porém se tratava do homem errado. A vítima era um delegado de polícia, que os surpreendeu e tirou os meliantes de circulação.

Minha informante voltou do local do crime cheia de novidades. Eu atenta, escondia-me atrás da segunda xícara, ouvindo o relato.

“Eles estavam muito machucados, os tiros não pegaram, mas as testas estavam cheia de sangue (sic).

Ela, acreditem, os abordou. Disse que eles eram muito jovens e com olhos mareados exclamou: “Poxa, por que fizeram isso? Agora vão sofrer em Bangu. Não podiam fazer isso”.

Ela não os conhecia, mas se compadeceu.

Virou-se para mim e sentenciou: “Não é porque é pobre e preto que tem que ser bandido. Eu sou pobre e venho de Bangu (do bairro, não da penitenciária) todos os dias vender meus produtos e levar um dinheirinho pra casa”. E continuou: “Mas eu só queria saber porque branco desvia dinheiro e, quando é preto, ele rouba” (referindo-se às manchetes recentes sobre corrupção).

Balancei a cabeça, paguei minha conta e segui.

Os 5 tiros pegaram em mim.

Flavia Francis

Flavia Francis

Publicitária, taurina, pescadora com ascendente em escorpião. Quando some, tá na praia, com seus anzóis ao mar curtindo a brisa e a solidão. Tem uma queda por descobertas e um desabamento por rimas e emoção.
Flavia Francis

Últimos posts por Flavia Francis (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *