Ainda morro de amores por você – We Love

Ainda morro de amores por você

É que eu ainda morro de amores por você. Subo correndo os 200 lances de escadas para chegar à porta do seu escritório e dizer É que eu ainda morro de amores por você. E por morrer de amores por você eu não penso direito nas consequências e me jogo na frente de milhões de ônibus lotados que ultrapassam sinais verdes no trânsito frenético. É que eu ainda morro de amores por você. Não te esqueci. Ainda morro de amores por você toda vez que meu chefe me pede que mude de lugar o diálogo da última cena e risque seu nome no roteiro porque inventei de chamar o protagonista do seu nome, fingindo que era um nome bonito, mas é só porque eu ainda morro de amores por você. E por morrer não sobrevivo.

Fale alguma coisa. Grite que eu continuo sendo o amor da sua vida; minha cabeça parece que vai explodir porque eu ainda morro de amores por você toda vez que mergulho na piscina do clube, me afogo, boio e grito lá embaixo: É que eu ainda morro de amores por você e o que eu devo fazer com esse amor que lambe o meu coração? O que devo fazer se ainda morro de amores por você? Você me disse fica com ele, devora ele e deixa que ele fique vencido na boca do seu estômago. É que eu ainda morro de amores por você e dói tanto! Tudo que você sabe sobre o mundo está errado e eu ainda morro de amores por você e para onde foi o que você tinha? Por não ter mais você, me mata.

Ainda morro de amores por você. Morro pelo ato e pelo fato. Enquanto o céu transforma o mundo em oceano, eu vou desabando por dentro, e sinto saudades pluralizadas e tenho ímpetos de te mandar um último e-mail, mas lembrei que já te esqueci mesmo morto de amores por você. Minhas veias são a válvula de escape, eu digo baixinho quando pulo do sétimo andar e acho que preciso me controlar muito porque morro de amores por você. Permito que você seja falta e me falte não porque é o primeiro nem o último nem nada disso é só porque morrer de amores não tem nada de bonito e é meio sujo. É que eu ainda morro de amores por você.

E fico sentado exatamente na terceira linha branca da faixa de pedestres dizendo Eu ainda morro de amores por você, você mesmo, então todas as pessoas param nas calçadas e dizem Ele morre de amores por você antes que as colisões comecem e o pânico se espalhe feito epidemia preciso dizer isso e você precisa me escutar porque eu realmente morro de amores por você. Não entendo como posso morrer tantas vezes, deve estar nas Escrituras que eu morro de amores por você porque parece tão sagrado! Uma dose. Uma dose é o que me leva a morrer de amores por você. E te trago. E nos transformo em fumaça. É por isso que eu morro.

Ainda assim estou aqui. Morrendo de amores por você e entrando em aviões mesmo que eu vacile em cada turbulência rezando baixinho É que eu ainda morro de amores por você. As máscaras de oxigênio não caem porque todas as pessoas seguem um rumo certo e o pouso é a parte mais difícil porque é como se o barulhinho das rodas na pista também dissesse: é, ele morre de amores por você.

Ainda morro de amores por você. Por isso estou aqui.

Ronaldo Gomes

Estudante de jornalismo que teoriza sobre qualquer besteira que encontra pela frente. Adora dançar – não na frente das pessoas – e escreve em um ritmo sobre-humano, ou gostaria. Já cantou em um coral, escreveu a própria biografia quando tinha menos de 10 anos e hoje vive contando histórias sobre a inimaginável capacidade humana de ter sentimentos.
Ronaldo Gomes

Últimos posts por Ronaldo Gomes (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/welove/www/wp-includes/functions.php on line 4339

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/welove/www/wp-includes/functions.php on line 4339