O que passa pela cabeça de uma pessoa com déficit de atenção e hiperatividade • We Love

O que passa pela cabeça de uma pessoa com déficit de atenção e hiperatividade

Minha cabeça é louca | Pixabay

“CARALHO, TEM UM SAPO GIGANTE NA MINHA FRENTE!

Mas pera, é dócil e doce, tem gosto de chocolate. Mano! Eu tô comendo um sapo. Foda-se, eu tô com fome. Tá até rolando trilha sonora. Escuta só esse tic-tac. Pera, eu tava sonhando. É o despertador. O primeiro. Porque eu sempre programo três – tenho sérios problemas pra despertar, é um processo demorado e sofrido.

Tá. Bateu o terceiro, bora acordar que tem muita coisa pra fazer hoje. É aniversário da Tati, mando uma mensagem assim que eu chegar no galpão… Mas e se der bosta e eu for roubado no caminho? A mensagem tem que ser enviada no WhatsApp. Todo mundo sabe que parabéns de Facebook é coisa de gente falsa. Ih, tô atrasado, perdi o trem.

Não, eu não perdi o trem… O trem é quem me perdeu. A gente sabe muito bem quem não soube valorizar essa relação. Igor, para, migo, isso é sinal de esquizofrenia… Além do quê, ninguém nunca assumiria um relacionamento sério com um modal… Se bem que meu pai ama aquele Palio branco como quem ama um filho… Pera… Será que ele ama mais aquele carro maldito do que eu, filho legítimo?

Não, não tem como não amar o caçula. É de lei. Tá nos 10 mandamentos: “amarás o caçula, mais que o carro da Fiat”. Se não está lá, deveria. Moisés vacilou. Poderia ter apagado uma linhazinha, talvez nem fizesse tanta diferença. Ninguém guarda os domingos mesmo. Se bem que não tem nada melhor do que ficar dormindo no domingo.

Rimou. Vou virar MC.”

Uma batida mental se inicia e após alguns segundos de um show possivelmente falido Igor acorda.

“CARALHO, perdi o trem de novo.”

Mais uma vez, o turbilhão de pensamentos se inicia.

Nota do autor

Felipe, meu velho, eu te entendo. Um dia a gente marca de tomar um chopp e divide uma caixinha de Rivotril.

Igor Amâncio

Igor Amâncio

Produtor de conteúdo no We Love. Quase jornalista, amante da música, arranha um violão como ninguém. Um dia decidiu deixar de lado o video game e resolveu jogar com as palavras.
Igor Amâncio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *