Não, você não quer ser negro • We Love

Não, você não quer ser negro

crying chorando | pexels

Duas situações me levaram a algumas reflexões sobre uma sensível questão. A primeira aconteceu há alguns meses quando eu estava saindo com um rapaz branco. Ele sempre fazia muita questão de elogiar a minha negritude, a todo momento dizia o quanto eu era linda e o quanto minha cor era maravilhosa; em alguns momentos, dizia que queria ter o cabelo estilo black power, pois ele adoraria ser negro. Tudo isso, sob a perspectiva do que a mãe dele falava: “ah, você deveria ter nascido negrinho, porque vai gostar de negro assim em outro canto”. Desconfiada, engoli muitas vezes o que ele dizia, até que um dia simplesmente falei “não, você não queria ser negro”.

A segunda situação aconteceu em uma rede social. O amigo internauta nunca decepciona e, uma vez, zapeando por alguns posts, vi um comentário de uma mãe enaltecendo a filha que decidiu que queria ser negra. A mãe achou tudo aquilo lindo e maravilhoso e muitas pessoas elogiaram a atitude dela sob o pretexto de que criança não nasce preconceituosa ou racista e, de fato, isso é verdade, mas, mãe… Tenho um recado para você, você não quer que sua filha seja negra.

É muito fácil dizer que quer ser negro quando há um grande apelo atual à nossa cultura, afinal de contas, os cabelos cacheados e crespos estão sendo aceitos na sociedade. Por dois anos seguidos, a Miss Brasil é negra. O ex-presidente dos Estados Unidos é negro, mas, ainda assim, com toda essa representatividade, você não quer ser negro.

Você não quer ser negro, porque não quer tomar para si as dores de um povo sofrido, onde as oportunidades nunca serão iguais.

Você não quer que sua filha seja negra, porque vão ter momentos durante a infância e a adolescência que a coisa será tão complicada que ela vai pedir a Deus para ser branca.

Você não quer ser negro, porque quer ter a chance de andar no shopping em paz, sem ser perseguido por um segurança achando que vai roubar alguma coisa.

Você não quer que sua filha seja negra, porque o cabelo 4C dela nunca será bonito o suficiente, consequentemente, ela também não.

Você não quer ser negro, porque não quer perder seu direito de ir e vir sem se preocupar se será ou não parado pela polícia.

Você não quer que sua filha seja negra, porque a solidão da mulher negra é real, e vai partir o seu coração ao vê-la sendo preterida.

Você não quer ser negro, porque não quer entrar na estatística de ser mais um jovem morto pela polícia ao ser confundido com um traficante.

Você não quer que sua filha seja negra, porque não quer que a cultura dela seja apagada, esquecida e apropriada por outras pessoas.

Você não quer ser negro, porque não quer que ninguém duvide da sua capacidade intelectual por ser negro.

Você não quer que sua filha seja negra, porque não quer vê-la chorar por não ter uma boneca parecida com ela.

Você não quer ser negro ou que sua filha seja porque não quer sentir na pele o que é ser negro no Brasil.

Eu poderia colocar mais inúmeros motivos mostrando que ninguém quer ser negro. Mas gostaria de finalizar com as palavras de Toni Morrison, em seu livro The Bluest Eye (O Olho mais azul), ela diz que “a cor da pele é patrimônio, nascer com a pele clara e o olho claro dá aos brancos um patrimônio que nós não temos. Não digo isso porque sei o valor que temos ou podemos ter, mas porque há um mundo que diz que não valemos tanto assim”.

Vocês não querem ser negros, mas eu já quis ser branca e acho que nem preciso elencar os motivos para isso, então, por favor, parem para pensar quando forem dizer que “adorariam ser negros”. Ninguém faz ideia do que passamos, e dói, dói muito. Eu só queria que vocês soubessem disso.

Ana Caroline Carmo

Ana Caroline Carmo

31 anos, estudante de Letras, porém ainda não sabe o que quer da vida. Ama seus dois gatos - Dallas e José -, sofre por antecipação, mas sabe que a vida é uma eterna caixa de surpresas. Ah, sempre esquece de mencionar o fato de que é fã do Backstreet Boys.
Ana Caroline Carmo

Últimos posts por Ana Caroline Carmo (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *