O que acontece quando você deixa de curtir coisas no Facebook • We Love

O que acontece quando você deixa de curtir coisas no Facebook

O que acontece quando você deixa de curtir coisas no Facebook

Certa vez, me contaram que um dos motivos para sermos tão viciados no Facebook (e no Instagram, e no Twitter, e no Stories…) se dá ao fato de que o movimento feito pelo dedão para atualizar o feed é o mesmo que o feito nas máquinas de caça-níquel. Não consegui achar nenhum estudo sobre o assunto, mas discordo.

Para mim, vivemos praticamente em função das redes sociais por um motivo: elas são a forma mais fácil de se relacionar com as pessoas. Basta um like para mostrar que estamos ali. Concordamos. Amamos. Compartilhamos da mesma opinião. As conquistas dos amigos distantes estão a um clique de distância.

O problema nisso é que o diálogo acabou. O que quer dizer um like? Que tipo de conversa apertar esse botão gera? O resultado é ainda pior quando nos deparamos com um conteúdo difamatório ou preconceituoso e reagimos um um “Grrr”. Mesmo que seja para mostrar nossa indignação, reagir a um conteúdo desse tipo só faz com que o algoritmo do Facebook o veja como relevante e aumente seu alcance. Foi dessa maneira que o discurso raivoso de Donald Trump cresceu na internet – o levando a se tornar presidente dos Estados Unidos.

Por isso mesmo, não é difícil encontrar por aí artigos de quem já fez a experiência de parar de dar likes na rede social.  Como resultado, perceberam uma melhora no conteúdo do feed e aumento do diálogo na rede social. Como? Ao deixar de curtir e optar por apenas comentar em publicações, fica mais fácil trocar informações relevantes. Por exemplo: quando um colega faz um check in no cinema, é muito mais rico comentar o filme ou fazer uma indicação, do que apenas curtir o que ele publicou.

Captura de Tela 2017-10-09 às 16.29.13

Você já assistiu Mãe!? Olha a nossa resenha aqui

O que acontece, na verdade, é que, ao deixar de curtir, você “cria um bug” no algoritmo do Facebook, que fica sem entender o que você gosta de ver: são vídeos de gatinhos, memes, notícias ou postagens dos seus amigos?  De que maneira o Facebook pode sugerir anúncios ou publicações assim?

Costumo dizer que o Facebook é o Kiko, do Chaves. Lembra quando ele perdia algum jogo e, por ser o dono da bola, acabava com a brincadeira? É a mesma coisa, só que dessa vez, quem recupera a bola é você: apenas com uma mudança de comportamento, você “quebra” a estrutura do Facebook. Já pensou que louco?

Leia também: Você é mais feliz no Instagram

“O polegar opositor anda cada vez mais viciado, pensei. Rolava pela timeline do Facebook enquanto as rodas do trem…”

Publicado por Coletivo We Love em Terça-feira, 2 de maio de 2017

Ana Sasso

Ana Sasso

Editora do We Love. Pensa alto, fala sozinha e rabisca em papéis pelo caminho. Quando não está escrevendo, está pensando no que vai escrever. É jornalista, mas vive entre contar e inventar histórias aqui.
Ana Sasso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *