Para ser mais feliz: foque no que você pode controlar • We Love

Para ser mais feliz: foque no que você pode controlar

Para ser mais feliz: foque no que está no seu controle

“Deus, conceda-me a serenidade para aceitar as coisas que não posso mudar,
Coragem para mudar as coisas que posso. E sabedoria para conhecer a diferença.”

Esta é a Oração da Serenidade, originalmente escrita pelo teólogo americano Reinhold Niebuhr por volta de 1934, e usada pelos Alcoólicos Anônimos e outras organizações de apoio a adictos; que quer dizer que esse não é apenas um passo fundamental para a recuperação do vício, é uma receita para uma vida feliz.

Resumindo, o sentimento por trás da oração é muito antigo, aplicado tanto por judeus quanto por budistas. Significa que uma vida serena é uma vida na qual conscientemente aceitamos o que nos é dado. Mas aceitar o que nos é dado é um processo que envolve saber separar as coisas que acontecem em dois grupos: as coisas pelas quais somos responsáveis e as que estão fora do nosso controle.

Somos responsáveis pelas coisas que fazem parte do nosso julgamento consciente: nossas escolhas, nossos impulsos, nossos desejos, aversões e nossas faculdades mentais em geral. Não somos responsáveis pelo que os outros pensam: nossa reputação, pelas mazelas do mundo (não diretamente, pelo menos), qualquer coisa que não esteja a nosso poder de controle.

Segundo o filósofo grego, Epicteto: “se você realmente entender a diferença entre o que está e o que não está sob seu controle e agir de acordo, você se tornará psicologicamente invencível, impermeável aos altos e baixos da fortuna.”

Claro, isso é muito mais fácil dizer do que fazer. Isso exige muita prática consciente e, na maior parte das nossas vidas, não estamos verdadeiramente conscientes. Estamos normalmente na marcha automática, fazendo movimentos mecânicos e inconscientes.

Há alguns anos, experimentei algumas frustrações e, na busca de alguma coisa para acalmar o espírito, comecei a ler livros com temas filosóficos e budistas, sem focar em uma linha única (porque são muitas) e sem necessariamente me tornar um praticante do budismo. Mas acabei praticando o Estoicismo, mesmo sem perceber. Passada a frustração e as angústias iniciais, meu primeiro pensamento foi a promessa de Epicteto. Percebi que não poderia mudar algumas coisas que aconteceram na minha vida. Mas, por outro lado, eu poderia aceitar o que aconteceu e guardar para não deixar que a mesma coisa acontecesse no futuro, me concentrando em aproveitar o tempo que me foi dado e tirar algum proveito.

Uma vez que você começa a prestar atenção, a dicotomia de controle pode ser aplicada para várias situações do cotidiano, através de uma “simples” ação: parar e entender o quanto os externos afetam o seu íntimo, como você vai pautar suas ações e sentimentos internos ante a interferência do externo. São as conquistas externas x as conquistas internas.

Por exemplo, digamos que você está preparando seu currículo para uma possível promoção de emprego. Se o seu objetivo é obter a promoção, você está se preparando para uma possível decepção. Não há garantia de que você irá obtê-lo, porque o resultado não está (inteiramente) sob seu controle. Claro, você pode influenciá-lo, mas também depende de uma série de variáveis que são independentes de seus esforços, incluindo a possível concorrência de outros funcionários ou, talvez, o fato de seu chefe, por qualquer motivo impossível de prever, realmente não goste de você.

É por isso que seu objetivo deve ser interno: se você adotar o jeito estoico, você prepararia conscientemente o melhor currículo possível e, depois, se prepararia mentalmente para aceitar qualquer resultado, sabendo que, às vezes, o universo irá favorecer você e, outras vezes, não. O que você ganha em ficar ansioso por algo que você não controla? Ou com raiva de um resultado que você não estava prevendo? Você está simplesmente se machucando, comprometendo sua felicidade e serenidade.

Este não é um conselho para você aceitar passivamente tudo o que acontece na sua vida. Afinal, acabei de dizer que seu objetivo deveria ser reunir o melhor currículo possível. Mas isso é ser sábio e saber que as coisas nem sempre seguem o caminho que desejamos.

Aprendi que, se não aconteceram, a melhor forma de lidar é pegar suas peças e seguir em frente..

Você quer que seu parceirx te ame? Está fora do seu controle. Mas existem muitas formas de mostrar o seu amor e isso sim está sob controle. Você quer um partido político em particular ganhe as eleições? Está fora do seu controle, mas você pode optar por virar um ativista político, podendo votar melhor e conscientizar outros eleitores.

Estes aspectos da sua vida estão sob seu controle. Se você conseguir conceber seus objetivos internamente, você nunca culpará ou criticará ninguém, porque o que outras pessoas fazem não está sob o seu controle e não é algo para se preocupar.

O resultado será uma vida mais equilibrada entre altos e baixos. Uma vida muito mais serena.

David Moratório

David Moratório

Redator e analista de conteúdo, amante de livros, domingos em casa e series bobas. Filósofo de hamburgueria que acredita que a única salvação é o amor.
David Moratório

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *