Quando você partir – We Love

Quando você partir

Quando você partir

Quando você partir diga um adeus definitivo. Leve todas as cartas que me entregou em datas, leve o cheiro do café torrado, leve você. Não deixe nada, me deixe vazio; eu vou sobreviver. Por mais constantes que sejam os desligamentos dos pontos, quero que você saiba: eu sei sobreviver.

Quando você partir não diga uma palavra sequer sobre sentimentos que acabam por falta de tempo, espaço, tato ou qualquer coisa que é uma barreira, um impedimento, uma represa prestes a romper. Vá silencioso como o vento manso e não faça estardalhaços. Apenas vá; e não pronuncie o meu nome.

Quando você partir faça com passos lentos e certeiros, faça como se eu fosse um terreno virgem que você tem medo de pisar com força. Não ligue, não mande mensagens sobre afetos obsoletos e arrependidos, não anuncie que me perdeu. Apenas, só apenas… Parta.

Quando você partir, e só quando você partir, eu irei tocar cada ladrilho gelado da cozinha, irei depois beber um chá de hortelã, lamberei os cantos da boca e sentirei que a falta que eu me fazia acabava sendo maior do que a falta que você me faz agora. Vão dizer: sim, você descobriu o amor! E eu vou chorar.

Quando você partir, toque no pedaço do meu corpo entre o quadril e a coxa direita, só para eu ter a certeza de que você lembra como é me tocar em uma parte que eu odeio – cicatriz literal. Encoste devagar, desenhe o traço do mundo e se afaste como quem me marca pela última vez. Porque será.

Quando você partir, pegue uma chave de fenda e desparafuse a foto que emoldurei de nós dois. Depois me pergunte se continuo bom em permanecer calado toda vez que você me trata com força. Espero que, antes de você partir, eu fale. Fale tudo.

Quando você partir… Me permita dizer… Quando você partir, eu vou te colocar em um lugar sombrio, pequeno e amedrontador. Eu vou dizer para os homens que baterem na minha porta: foi isso que ele fez comigo. Apontarei as partes. Ficarei nu. Serei toda a minha vergonha.

Quando você partir, espero que eu também parta. Espero que eu verbe. Espero que nunca mais eu precise esperar pela sua partida. Porque você já terá ido.

Ronaldo Gomes

Estudante de jornalismo que teoriza sobre qualquer besteira que encontra pela frente. Adora dançar – não na frente das pessoas – e escreve em um ritmo sobre-humano, ou gostaria. Já cantou em um coral, escreveu a própria biografia quando tinha menos de 10 anos e hoje vive contando histórias sobre a inimaginável capacidade humana de ter sentimentos.
Ronaldo Gomes

Últimos posts por Ronaldo Gomes (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/welove/www/wp-includes/functions.php on line 4339

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/welove/www/wp-includes/functions.php on line 4339