Virada pra lua errada • We Love

Virada pra lua errada

pexels-photo-322070

Desde sempre, nunca me quiseram como eu fui. Mas foi o que veio, né? Não tem devolução quando se trata de natureza. Mas deveriam ter explicado isso a família que esperava um menino para criar machista e opressor, pronto pra jogar bola e ser livre no mundo. Eles não sabiam. Na verdade, até hoje não sabem e não entendem. Pena.

Nasci e já fui decepção. Mal podiam esperar pra me ver crescendo. Vai ser bonita, inteligente e rica. Vai casar com alguém rico, no mínimo. Mas não. Cresci pra eles como algo que eles negariam aceitar pelo resto da vida. Livre como vento, forte como touro. O equilíbrio da balança.

Mas acho que nasci virada pra lua errada.

Ensinaram desde nova, que a mãe se obedece, e o pai se tem respeito. Mas não me disseram que o respeito pode vir de duas formas: mérito ou medo. Aprendi da pior forma que era pelo medo que se tratava, pelo menos em casa.

Mentiras pequenas e desejos de criança eram repreendidos com louvor. Não, não vai sair.
Não, não vai dormir fora.
Brincar na rua???? Nem pensar!

E aos poucos o abuso foi se tornando tão corriqueiro e comum, que pra mim já era normal, como criança, ver e sentir esse tipo de repressão. Então não fazia nada de errado, esperando não ser açoitada de palavras rudes. Mas elas sempre vinham. Independente do que, elas sempre vinham.

E a criança que deveria ser criança parecia mais uma mini-adulta, que fala como adulta, que age como adulta, e que todas as amizades que tinha eram podadas e cortadas. Tecnicamente, eu era o Jimmy Bolha.

Sem a bolha.
Sem muitas amizades próximas.

Era só eu e minha imaginação, que logo criou mundos escritos onde eu era do jeito que eu queria ser. Onde eu podia ser o que eu queria ser.

Nunca fui tão feliz no quintal de concreto duro da minha vó.

Gabriela Reis

Gabriela Reis

Gabriela Reis tem 20 anos de idade, cursa jornalismo e é apaixonada pela escrita desde novinha. Autora do blog disenchanted, costuma misturar poesias, contos e desabafos emocionais sobre sua vida cotidiana. Acredita que a jornada da vida seja mais bonita se for acompanhada, e crê sempre no lado bom das pessoas, mesmo que isso custe sua paz de espírito.
Gabriela Reis

Últimos posts por Gabriela Reis (exibir todos)

Comments

  1. Reinaldo Brosler

    Oi Gabi. O mundo tem o seu lado frio e cruel, mas também tem o da esperança, e para a qual devemos mobilizar todas as nossas energias pra ser feliz. Temos você como pessoa muito especial. Sempre a admiramos. Carinhoso abraço e beijo.

  2. Uma partícula de mim, que amo mais do que tudo… você muito única, que eu me orgulho muito, pela inteligência, criatividade, simplicidade, capacidade, responsabilidade e, demais qualidades… Mas que também, se demonstra tal qual uma taurina nata, onde a teimosia reina de vez em quando, e é melhor não discutir… mas tem esse coração enorme que é muito bom, generoso, verdadeiro e honesto. Aproveito a oportunidade, para deixar registrado aqui, que a sua evolução a cada dia me surpreende e me acaricia com imensa felicidade, e ainda, prova que plantei a sementinha certa em você; o incentivo da leitura desde muito criança, benéfico para sua intelectualidade. E o melhor de tudo isso, é que você sempre cuidou muito bem da sua plantação, e já está colhendo bons frutos. P.S.: Mamãe te ama muito!!!! Desejo muito sucesso na sua vida!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *