Posted on

Os melhores amores são os que chegam sem a gente esperar. Isso é fato. A surpresa deixa tudo mais apetitoso. É como ganhar o seu primeiro carro ou tirar a habilitação, dizem.

E foi assim com você. Desde que te vi ali, naquela festa que estava em ponto morto e fadada ao fracasso, tive a certeza que aceleraria até o outro lado do mundo para poder te ver de novo, se preciso fosse. Seus olhos brilharam quando encontraram os meus. Pareciam faróis, semáforos e sinaleiras – a depender da denominação dada localmente. E naquele instante uma luz acendeu.

Uma não, algumas. Primeiro foi a luz vermelha dizendo que aquilo era algo que me faria largar toda a minha agenda de contatinhos por um único número de DDD diferente do meu. Coisa que eu não imaginava que pudesse acontecer. Achava que estava imune.

Em seguida foi a luz amarela da atenção. Será que eu conseguiria que você me olhasse de forma diferente? Como seria o approach? O que eu diria? Não sei. Apenas fui me deixando levar como uma carreta que desce a ladeira, desgovernada, sem saber o que vai encontrar no final da estrada.

Logo depois veio a luz verde. Você abriu a guarda, eu cheguei. Conversei, toquei, senti e beijei. O coração acelerou tanto que parecia o motor de um F1 em plena reta oposta. Eu continuei sem ligar para os sinais que me diziam para parar nos boxes e descer do carro. Eu fui. Continuei indo e estou na pista até agora torcendo para que não chegue a bandeirada final.

A distância separa e une. Os caminhos levam e trazem. A velocidade de ficar é a mesma que me fez partir. Mas, saiba, que um dia eu ainda entro de carona na sua vida e não salto do carro nunca mais.

Que assim seja, sem pedágio, sem falta de combustível e sem carro quebrado. E que a gente, apesar da descrença, continue seguindo nessa estrada que a cada dia nos reserva algo diferente. Porém, se eu estiver com você, o caminho não me assusta, só me faz querer ir mais longe.

Robson Santos

Publicitário, poeta de boteco, odeia sushi, ama filmes de máfia, tem TOC's, vive por música e não sabe a razão de escrever em terceira pessoa. Descarrega suas emoções no letraslorotaseleriados.tumblr.com
Robson Santos

Últimos posts por Robson Santos (exibir todos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *